segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Escritores... Os nossos!

Conto de Natal


Mafalda é uma menina de dez anos, franzina, com longos cabelos loiros, olhos grandes, castanhos e cheios de vivacidade! Sentia-se muito feliz, pois tinha recebido muito amor, carinho, dedicação, afabilidade e compreensão de todos quanto a rodeavam.
Esta criança tinha nascido em berço de ouro. Sua família era muito rica e poderosa. Desde bebé nunca lhe tinha faltado o olhar e cuidados atentos das suas empregadas domésticas. Aos três anos foi matriculada num dos mais prestigiados colégios particulares e aí convivia com crianças de elevado nível social. Em todas as festas de aniversário, Mafalda recebia belos e valiosos presentes, tanto dos seus familiares como dos amigos convidados. Na festa de Natal, havia sempre debaixo da árvore tudo quanto havia pedido ao Pai Natal; por tudo isto imaginava que a vida era assim para todas as crianças.
Nas férias do último Natal, numa noite fria, os pais resolveram levar Mafalda ao cinema, o que acontecia com muita frequência! Mas este filme foi diferente…Era um filme que tinha sido rodado num país pobre, em que os seus habitantes tinham muitas carências a nível social e económico. As famílias eram numerosas, às crianças quase tudo lhes faltava. Não tinham assistência médica, a alimentação era muito desequilibrada, começavam a trabalhar em tenra idade, desde o amanhecer até ao sol se pôr, não tendo tempo para brincar!
Mafalda regressou a casa muito pensativa. Naquela noite, não conseguiu dormir pensando naquelas crianças a quem tudo faltava, tendo ela tudo com tanta abundância!
Aproximava-se o Natal. Era tradicional Mafalda escrever uma carta ao Pai Natal pedindo-lhe vários presentes. Mas desta vez, Mafalda não desejou apenas isso…Pediu-lhe encarecidamente que a transportasse no seu trenó puxado pelas encantadoras renas, para poder dar um presente a cada criança do Mundo.
Mafalda esperou impaciente pelo grande dia!
Na noite de Natal, em casa de Mafalda reinava uma grande algazarra e alegria como era costume. Mas a criança estava diferente, todos lhe perguntavam o que se passava, ela referia que estava apenas com sono e dirigiu-se para o seu quarto, logo depois do jantar.
Olhando para a janela com tristeza, pensando que o Pai Natal não lhe poderia conceder o seu desejo, observou uma estrela muito brilhante a aproximar-se … era a estrela guia do Pai Natal.
A estrela disse:
-Vamos, o Pai Natal está à tua espera!
A criança saltou pela janela como se estivesse num sonho. Sentou-se ao lado do Pai Natal e as renas começaram a sua viagem pelo céu.
-Esta noite temos muito trabalho! -disse o Pai Natal.
-Muito trabalho? -perguntou a menina.
-Sim, vamos dar um presente a cada criança do mundo.
Juntos atravessaram oceanos e continentes, viram crianças a brincar na praia e outras a brincar na neve, umas a viver em cabanas, outras em arranha-céus. Mas conseguiram deixar um brinquedo e ver um sorriso em cada uma delas.
No dia seguinte, Mafalda acordou no seu quarto, foi a correr para junto da árvore de natal e tinha um único presente! No fundo de uma caixa, um bilhete que dizia:
-“Obrigado pela ajuda!”


Beatriz Borges, 5ºD

Sem comentários:

Enviar um comentário